Compartilhe

Pagamento dos servidores estaduais com reajuste salarial começa nesta sexta

Por Redação 40 Graus    Sexta-Feira, 28 de Janeiro de 2022


Começa nesta sexta-feira (28) o pagamento dos salários do funcionalismo público estadual referente ao mês de janeiro. Todos os servidores efetivos ativos e inativos receberão os salários com o reajuste de 10%. Nesta sexta-feira, recebem os aposentados, pensionistas e reformados. Já na segunda-feira (31) é a vez dos servidores da ativa, da administração direta e indireta.

Além do reajuste de 10%, os policiais militares, civis e penais também já recebem os salários de janeiro com a incorporação inicial de 20% da bolsa desempenho, dos plantões extras e demais benefícios concedidos às forças de Segurança Pública.

A folha de pagamento de janeiro ainda inclui o reajuste de 31,3% do magistério, contemplando mais de 17 mil professores ativos e inativos.

“Esse é um esforço enorme para demonstrar o nosso respeito e valorização aos servidores públicos. Nós estamos passando por uma pandemia e uma crise financeira no país e, mesmo diante desse quadro de dificuldades, estamos pagando servidores dentro do mês trabalhado e fornecedores em dia, graças a uma gestão fiscal e financeira eficiente”, frisou o governador João Azevêdo ao anunciar o pagamento dos salários de janeiro durante o programa semanal Conversa com o Governador, transmitido em cadeia estadual pela Rádio Tabajara.

Calendário de pagamento:

28/01 – aposentados, pensionistas e reformados;

31/01 – servidores da ativa (Administração Direta e Indireta)

« Voltar

CARA DE PAU

Bolsonaro agora diz que mal conhece Daniel Silveira, pivô de atrito dele com o STF

ORIENTAÇÕES

Está gripado? Saiba como agir quando estiver com alguma síndrome gripal

Veja também...

ELEIÇÕES 2022

Datafolha: Lula tem maior vantagem no Nordeste e Bolsonaro fica à frente nos evangélicos

ELEIÇÕES 2022

Datafolha: Cresce diferença entre Lula e Bolsonaro no 2º turno das eleições

ELEIÇÕES 2022

Datafolha: 54% dizem não votar em Bolsonaro de jeito nenhum, ante 33% em Lula