Compartilhe

Análise: Fla sai perdendo, não tem poder de reação e dá 'adeus' ao título

Por Globo Esporte    Quinta-Feira, 30 de Novembro de 2023


Flamengo que vinha em franca evolução com Tite se viu diante de uma situação inédita contra o Atlético-MG no Maracanã: pela primeira vez desde a chegada do treinador, o time saiu atrás do placar e precisou mostrar o seu poder de reação. O problema é que não teve nenhum. Com um segundo tempo desastroso, o Rubro-Negro tomou um 3 a 0 na última quarta-feira e "deu adeus" às chances de título.

Adeus entre aspas porque matematicamente ainda é possível, mas nem o mais otimista rubro-negro acredita mais. Além da distância de três pontos para o Palmeiras restando duas rodadas, o Flamengo ainda tem uma diferença de 16 gols de saldo. Ou seja, empatar em pontos não resolve. Precisaria vencer os dois jogos que restam e torcer para o Alviverde não ganhar nenhum. Se por um milagre isso acontecer, ainda teria que secar Botafogo e Atlético-MG, que não poderiam vencer as duas partidas que lhes restam.

Scout - Flamengo x Atlético-MG

Quesito Flamengo Atlético-MG
Posse de bola 55% 45%
Finalizações 19 10
Chances de gol 5 5
Passes (precisão) 594 (86%) 426 (84%)
Desarmes 13 21
Faltas 12 12
Escanteios 10 1
Impedimentos 0 3

Fonte: ge

É muita conta para pouco futebol. Não na "Era Tite" de forma geral, afinal esse texto começa reconhecendo a evolução do Flamengo desde a chegada do treinador. Mas especificamente na noite de quarta-feira faltou bola e sobrou chuveirinho. Foram 40 cruzamentos rubro-negros durante a partida, sendo 14 no primeiro tempo e 26 na etapa final, segundo dados do "Sofascore".

Jogadores do Flamengo abatidos após derrota para o Atlético-MG — Foto: André Durão

Jogadores do Flamengo abatidos após derrota para o Atlético-MG — Foto: André Durão

Antes de pontuarmos o desempenho do Flamengo, é preciso dizer: o Atlético-MG fez uma baita atuação. Felipão armou uma arapuca de bolas longas nas costas da última linha que deu certo, sua equipe comeu a bola no Maracanã e venceu mais do que merecidamente (não à toa é o melhor time do segundo turno). Agora nos debrucemos sobre o Rubro-Negro e seus problemas.

Como 10 a cada 10 torcedores sabiam, a suspensão de Pulgar logo nesse jogo era um problemão, e Thiago Maia não esteve nem perto de conseguir suprir essa ausência. O volante ficou perdido na marcação, teve apenas um desarme durante os 59 minutos em que esteve em campo e saiu vaiado. E os três gol sofridos tiveram falhas dos laterais-direitos: no primeiro Matheuzinho deu espaço para infiltração de Paulinho; no segundo Wesley errou a bola que deu contra-ataque, e no terceiro ele perdeu na velocidade para Rubens.

Paulinho atacou o espaço entre Matheuzinho e Fabrício Bruno no primeiro gol do Atlético-MG — Foto: Reprodução

Paulinho atacou o espaço entre Matheuzinho e Fabrício Bruno no primeiro gol do Atlético-MG — Foto: Reprodução

Ainda assim é preciso separar o desempenho do primeiro para o segundo tempo. O Atlético-MG já jogava bem e vencia antes do intervalo, mas o Flamengo também chegava com perigo. Mesmo com uma marcação dupla em muitos momentos, de Zaracho e Saravia, Cebolinha ainda dava muito trabalho e criou duas das quatro chances de gol do time: um cruzamento rasteiro aos 15 minutos que quase Pedro alcançou e um chute colocado aos 35 que raspou a trave.

As outras chances foram de cabeça na bola parada: uma com Léo Pereira, aos 12, e outra com Bruno Henrique, para defesaça de Everson aos 42. O Atlético-MG, por sua vez, teve três boas oportunidades: o gol de Paulinho aos sete minutos, uma bomba de Otávio para bela defesa de Rossi aos 13; e um chute quase sem ângulo de Hulk que o goleiro salvou aos 36. Ou seja, na prática o Flamengo até criou um pouco mais do que o Galo no primeiro tempo.

Os 10 jogadores de linha do Flamengo no campo de ataque no segundo gol do Atlético-MG — Foto: Reprodução

Os 10 jogadores de linha do Flamengo no campo de ataque no segundo gol do Atlético-MG — Foto: Reprodução

Mas na etapa final o panorama mudou. Na aflição de empatar, com apenas um minuto o Flamengo colocou todos os seus 10 jogadores de linha na intermediária do Atlético-MG numa bola parada. No contra-ataque, Edenilson fez o segundo do Galo. Aí o time sentiu o golpe. E com Arrascaeta em noite pouco inspirada (o uruguaio errou incríveis 23 passes, quase três vezes mais do que o segundo colocado Léo Pereira, com oito erros), o Rubro-Negro se viu sem criação e passou a levantar bola na área a torto e a direito, sem levar nenhum perigo.

Tite tentou mexer, mas só piorou a situação. Com quatro atacantes em campo (Luiz Araújo também entrou), Gabigol fazia as vezes de meia e ia buscar a bola na intermediária, mas não conseguiu produzir nada. E nem o preenchimento da área com tantas peças de frente funcionou. Quando Rubens marcou o terceiro do Atlético-MG aos 36, o Flamengo não tinha criado NADA. A única chance real no segundo tempo foi uma cabeçada de Léo Pereira para outra grande defesa de Everson aos 40 minutos.

Gabigol voltou a jogar e entrou de meia em uma formação com quatro atacantes; não funcionou — Foto: André Durão

Gabigol voltou a jogar e entrou de meia em uma formação com quatro atacantes; não funcionou — Foto: André Durão

De positivo, só o comportamento da torcida que mesmo com um 3 a 0 contra no placar gritou e cantou em apoio ao time. Talvez eles tenham entendido que a briga agora é pelo G-4 e que não é hora para crise. O sonho de título que surgiu de repente (graças ao Botafogo) na reta final do Brasileiro minguou, e a temporada de fato vai terminar frustrante por toda a expectativa criada para 2023. Com o time já garantido na Libertadores, evitar ter que jogar a fase prévia é crucial no planejamento para 2024.

Os jogadores do Flamengo se reapresentam na tarde desta quinta-feira no Ninho do Urubu e iniciam a preparação para a penúltima rodada do Brasileirão. O time volta a campo no domingo, às 16h (de Brasília), para enfrentar o Cuiabá novamente no Maracanã. E na quarta-feira que vem, o time encerra sua participação no campeonato diante do São Paulo no Morumbi. O Rubro-Negro é o quarto colocado com 63 pontos, empatado com Botafogo e Atlético-MG, mas com pior saldo de gols.

« Voltar

CARIOCA 2024

Título traz boas respostas para Tite e concorrência no Flamengo ganha corpo

CARIOCA 2024

Classificado, Fluminense encara o desesperado Botafogo no Carioca

Veja também...

SEGUNDA-FEIRA, 04

SEGUNDA, 04 - VOCÊ NÃO PODE PERDER: A peregrinação dos vereadores e trama da Baronesa

ELEIÇÕES 2026

Veneziano diz que segue contando com apoio de Lula em 2026, 'Me conhece'

NA PARAÍBA

Moradores do Novo Horizonte, em Patos, comemoram a conclusão de calçamento em ruas