Compartilhe

Músicos da Filarmônica 26 de Julho de Patos reclamam das péssimas condições de trabalho e salarial

Por Redação 40 Graus com ASCOM    Quinta-Feira, 6 de Dezembro de 2018


Músicos membros da Banda Filarmônica 26 de Julho de Patos se reuniram com o SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, nesta quarta-feira(5), para relatarem os inúmeros problemas enfrentados por eles.

A Banda que é composta por maestro, contra mestre, arquivistas, professores, músicos com suas especificidades em trompa, trombone, trompete, sax alto, sal tenor, clarinete, tuba, bombardino, percussão e baterista, está com péssimas condições de trabalho, e de salários, pois os músicos trabalham dentro e fora do município e não recebem nada por tocata, onde foi sugerido que as tocatas não oficiais em Patos seja pago o valor de R$ 100,00 por profissional e nos demais municípios esse valor passe para R$ 200,00.

Os músicos também querem a isonomia salarial igual aos servidores do nível médio no valor de R$ 512,00. Outra reivindicação da categoria é o pagamento da insalubridade e na próxima segunda-feira, dia 10 às 19:00 horas, o perito contratado pelo SINFEMP fará o laudo de todos no Centro de Cultura Anaury de Carvalho. Sobre as condições de trabalho a categoria alega que não tem, pois o local atual sequer tem espaço para guardar os instrumentos e exige que a sede retorne para o espaço anterior, no Bairro Belo Horizonte, antigo Mercado, onde funciona a FUNDAP, conforme a Lei nº 3.858/2010 de 26 de abril de 2010.

A Lei 4.061/2011 cria a Bolsa de Estágio de Aprendizagem Musical do Menor no quadro permanente da Filarmônica 26 de julho, e assegura 25 bolsas remuneradas no valor de R$ 150,00 ( cento e cinquenta reais), para alunos de faixa etária maior que 14 e menor de 18 anos, a título de incentivo à qualificação profissional, visando formar músicos para o futuro da Filarmônica 26 de julho, podendo esse valor ser aumentado, mas o atual espaço do Centro de Cultura é insuficiente, pois sequer comporta os músicos e ainda tem as exposições culturais, velórios de entes queridos, dentre outros.

O SINFEMP irá solicitar audiência ao prefeito Bonifácio Rocha para entregar a pauta de reivindicações da categoria, como também que seja enviado um Projeto de Lei para a Câmara Municipal, regularizando a gratificação para os professores, maestro, contra mestre e arquivista.

Para a presidente do SINFEMP, Carminha Soares, a reunião foi muito proveitosa e espera uma resposta positiva por parte do gestor municipal, pois o maior patrimônio cultural de Patos não pode ser tratado com desprezo.

O vice-presidente da entidade, José Gonçalves, destacou que a FUNDAP pode funcionar em outro espaço, até porque só existem poucos funcionários e poderia ser feita a permuta pelo centro de cultura.

« Voltar

NO SERTÃO

Prefeitura de Patos dificulta processo de investigação contra Dinaldo e Bonifácio e vereadores prometem acionar MP

TRAGÉDIA

Carro cai em açude e mata sertanejo que chegou de São Paulo para festa de Natal

Veja também...

NO SERTÃO

Complexo Hospitalar de Patos realiza classificação de risco dos pacientes

NO SERTÃO

Hospital do Bem de Patos realiza 428 atendimentos nos três primeiros meses de funcionamento

NO SERTÃO

Mais 3 pessoas são presas na Operação Recidiva em Patos; veja os nomes