Compartilhe

Músicos da Filarmônica 26 de Julho de Patos reclamam das péssimas condições de trabalho e salarial

Por Redação 40 Graus com ASCOM    Quinta-Feira, 6 de Dezembro de 2018


Músicos membros da Banda Filarmônica 26 de Julho de Patos se reuniram com o SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, nesta quarta-feira(5), para relatarem os inúmeros problemas enfrentados por eles.

A Banda que é composta por maestro, contra mestre, arquivistas, professores, músicos com suas especificidades em trompa, trombone, trompete, sax alto, sal tenor, clarinete, tuba, bombardino, percussão e baterista, está com péssimas condições de trabalho, e de salários, pois os músicos trabalham dentro e fora do município e não recebem nada por tocata, onde foi sugerido que as tocatas não oficiais em Patos seja pago o valor de R$ 100,00 por profissional e nos demais municípios esse valor passe para R$ 200,00.

Os músicos também querem a isonomia salarial igual aos servidores do nível médio no valor de R$ 512,00. Outra reivindicação da categoria é o pagamento da insalubridade e na próxima segunda-feira, dia 10 às 19:00 horas, o perito contratado pelo SINFEMP fará o laudo de todos no Centro de Cultura Anaury de Carvalho. Sobre as condições de trabalho a categoria alega que não tem, pois o local atual sequer tem espaço para guardar os instrumentos e exige que a sede retorne para o espaço anterior, no Bairro Belo Horizonte, antigo Mercado, onde funciona a FUNDAP, conforme a Lei nº 3.858/2010 de 26 de abril de 2010.

A Lei 4.061/2011 cria a Bolsa de Estágio de Aprendizagem Musical do Menor no quadro permanente da Filarmônica 26 de julho, e assegura 25 bolsas remuneradas no valor de R$ 150,00 ( cento e cinquenta reais), para alunos de faixa etária maior que 14 e menor de 18 anos, a título de incentivo à qualificação profissional, visando formar músicos para o futuro da Filarmônica 26 de julho, podendo esse valor ser aumentado, mas o atual espaço do Centro de Cultura é insuficiente, pois sequer comporta os músicos e ainda tem as exposições culturais, velórios de entes queridos, dentre outros.

O SINFEMP irá solicitar audiência ao prefeito Bonifácio Rocha para entregar a pauta de reivindicações da categoria, como também que seja enviado um Projeto de Lei para a Câmara Municipal, regularizando a gratificação para os professores, maestro, contra mestre e arquivista.

Para a presidente do SINFEMP, Carminha Soares, a reunião foi muito proveitosa e espera uma resposta positiva por parte do gestor municipal, pois o maior patrimônio cultural de Patos não pode ser tratado com desprezo.

O vice-presidente da entidade, José Gonçalves, destacou que a FUNDAP pode funcionar em outro espaço, até porque só existem poucos funcionários e poderia ser feita a permuta pelo centro de cultura.

« Voltar

MUDANÇAS

Governo quer transformar Hospital Regional de Patos em centro de referência para especialidades' afirma secretário

NA PARAÍBA

Nabor Wanderley relata momentos do acidente que escapou com motorista, assessora e filha de 4 anos

Veja também...

AINDA DAS ELEIÇÕES

Quase 600 títulos eleitorais podem ser cancelados em Patos

NO SERTÃO

Dupla é assassinada a tiros em Coremas, no Sertão

MUDANÇAS

Reforma da Previdência: entenda os principais pontos da proposta apresentada pelo governo