Compartilhe

Trabalho de combate ao Aedes é intensificado em Patos visando reduzir índice de infestação

Por Assessoria PMP    Quinta-Feira, 7 de Novembro de 2019


A Prefeitura de Patos por meio da Secretaria Municipal de Saúde e Vigilância Epidemiológica está intensificando o combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, doenças que podem gerar outras enfermidades, como microcefalia e Guillain-Barré, o Aedes Aegypti.

Elisângela Queiroz, coordenadora da Vigilância Ambiental, disse que é fundamental a participação e apoio da população no trabalho que já é realizado pelo poder público no controle dessas arboviroses. Ela ressaltou que esse cuidado deve ser constante, tendo em vista que o mosquito está presente ao longo de todo o ano.

Inclusive, este é o momento que inspira mais cuidado devido ao quarto e último Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2019, que na cidade de Patos atingiu 5,7, colocando o município no alto índice de infestação.

O último LIRAa deste ano foi elaborado através de pesquisas domiciliares realizadas pelos agentes de endemias, que novamente constataram maiores problemas nos depósitos rasteiros, a exemplo de tonéis, baldes, cisternas, entre outros.

“A gente continua vendo que o Aedes está cada vez mais dentro das residências, e por essa razão o apoio da população é de suma importância para combater o surgimento de novos focos”, reforçou Elisângela.

Um detalhe importante nesse combate é que, os proprietários de casas fechadas, que podem servir para criadouro do mosquito, podem procurar o auxílio da Vigilância Ambiental, com sede localizada ao lado da Escola Estadual Monsenhor Manuel Vieira, praça Edivaldo Mota.

O trabalho de combate aos focos do mosquito do Aedes e a busca para reduzir o LIRAa, segue rotineiramente com os agentes de endemias em cada residência do município.

A recomendação é que as donas de casa lavem os depósitos de água pelo menos uma vez por semana, uma vez que essa atitude ajuda a evitar que o mosquito se prolifere. Esse tratamento é feito na localidade onde o índice foi elevado e também nas áreas adjacentes.

De acordo com a Vigilância Ambiental, os bairros Belo Horizonte, Monte Castelo, Jatobá e Mutirão, são as localidades com maior índice de infestação do Aedes Aegypti.

 

« Voltar

BOA NOTÍCIA

Paraíba tem 59,2% da população ocupada em trabalhos informais

NO SERTÃO

Complexo Regional de Patos publica edital para contratação de médicos em várias especialidades

Veja também...

NO SERTÃO

Prefeito Ivanes confirma que pode fechar UPA de Patos por falta de dinheiro

DE CHEGADA

Nacional de Patos anuncia mais um meia para temporada 2020

NO SERTÃO

Hospital Regional de Patos registra mais de 40 mil atendimentos entre janeiro e outubro deste ano