Compartilhe

Filho da mulher que matou e cortou o pênis do marido presenciou o crime, diz polícia

Por G1 Paraíba    Sábado, 17 de Agosto de 2019


Um dos filhos da mulher suspeita de matar o companheiro a facadas e, em seguida, arrancar o pênis da vítima, em Areial, no Agreste da Paraíba, presenciou o crime, de acordo com o delegado Kelsen Vasconcelos, responsável pelo caso. O adolescente, de 13 anos, estava no portão da casa da mãe quando a viu discutir com o companheiro e matar o homem com golpes de faca.

Conforme o delegado, o adolescente e o outro filho mais velho da suspeita são filhos de um outro homem com quem a mulher teve um relacionamento antes de Luiz de Almeida, de 31 anos, que foi morto na noite da quinta-feira (15).

“Na hora em que tudo aconteceu, quem estava na casa era o filho dela, de 13 anos, e a bebê de 11 meses, filha do casal, que estava dormindo. Mas o adolescente estava no portão da casa e presenciou toda a situação”, informou o delegado.

Em depoimento à TV Paraíba na manhã desta sexta-feira (16), a avó da suspeita, que mora em frente à casa onde o crime aconteceu, disse que nunca viu algo parecido. “Eu ‘tô’ aperreada, uma coisa dessa, que eu nunca vi. Ela é minha neta. Eu só sei que ela, que era tão gorda, estava magra de tanto sofrer. Era ela quem cuidava de mim”.

A irmã da suspeita contou que estava estudando em casa quando recebeu a notícia de que a irmã teria matado o marido. “A gente correu e tudo, mas quando chegou aqui [casa do casal] ele já tinha falecido. Ela [a suspeita] se cortou também ou ele cortou ela”, relatou à TV Paraíba.

Uma vizinha da suspeita disse que a mulher estava sendo chantageada pela amante do companheiro. “Ele tinha outras e elas moram todas aqui perto. Ela [a suspeita] pegava o telefone dele e ligava pras outras dizendo isso e aquilo, aí ela foi botando tudo na cabeça né, aí aconteceu isso”.

 

Suspeita amolou faca antes do crime

 

De acordo com o delegado Kelsen Vasconcelos, responsável pelo caso, as primeiras investigações da polícia revelaram que a suspeita, de 42 anos, teria dito a uma vizinha que mandou amolar a faca utilizada para matar o homem.

Conforme relatou o delegado ao G1 na manhã desta sexta-feira (16), antes de cometer o crime, a suspeita também escreveu uma carta e entregou para o filho mais velho, de 18 anos. “Na carta ela pede para que o filho mais velho, fruto de um outro relacionamento, deixe os dois irmãos mais novos com parentes da família. Ela já havia premeditado todo o crime”.

Ainda segundo o delegado, a mulher teria cometido o crime por ciúmes. “Ela sabia que o companheiro estava em um relacionamento com outra mulher do mesmo bairro e descobriu que ele planejava deixar ela por essa outra mulher, mas ela não aceitava isso e foi então que planejou matar o homem”.

 

Casa onde o crime aconteceu, em Areial, na Paraíba — Foto: Reprodução/TV Paraíba

Casa onde o crime aconteceu, em Areial, na Paraíba — Foto: Reprodução/TV Paraíba

 

Mulher jogou ácido muriático na vítima

 

Durante a discussão com o companheiro, a suspeita também ficou ferida com cortes nas mãos, braços e cabeça. Conforme o delegado, depois que a mulher esfaqueou a vítima, ela cortou o órgão genital do homem, jogou ácido muriático no corpo e no rosto dele e, em seguida, colocou o órgão genital dentro de um copo.

A mulher caminhou até a casa da suposta amante do homem e deixou o material na calçada da residência. Outra vizinha da suspeita contou à TV Paraíba que viu a mulher desesperada na rua. “Eu ouvi um choro, aí abri o portão, quando eu cheguei ela tava sentada, aí eu perguntei o que era, mas ela só fazia chorar e gritar”.

 

Suspeita tentou se matar após o crime

 

Depois de matar o homem e levar o órgão genital da vítima até a outra mulher, a suspeita do crime teria tentado se matar, mas ela foi socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e levada para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

O corpo do homem foi encaminhado para o Núcleo de Medicina e Odontologia (Numol) de Campina Grande. Até as 13h desta sexta-feira, as informações do delegado eram de que a mulher permanecia internada no hospital em estado regular de saúde e deve ser levada para a Central de Polícia Civil após alta médica.

« Voltar

SEM SORTUDO

Mega-Sena acumulada pode pagar R$ 120 milhões nesta quarta-feira

NA PARAÍBA

Trabalhadores dos Correios da Paraíba encerram greve e voltam atividades a partir desta quarta

Veja também...

MENOS SAÚDE

Presidente da ASPAA diz que autista teve atendimento negado no Centro Especializado em Reabilitação de Patos

NO SERTÃO

MP arquiva inquérito que investigava ato de improbidade do prefeito Sales pela não realização do São João

SEM SORTUDO

Mega-Sena acumulada pode pagar R$ 120 milhões nesta quarta-feira