Compartilhe

Forrozeiros criticam valores exorbitantes que serão cobrados pela Sttrans no estacionamento do São João de Patos

Por Redação 40 Graus    Segunda-Feira, 18 de Junho de 2018


Às vésperas do maior evento da cidade de Patos, mais uma polêmica surge. É que os valores anunciados pela Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STtrans) de Patos que serão cobrados na Zona Azul Solidária do São João de Patos 2018, estão sendo considerados exorbitantes.

O órgão ficou que motos pagarão R$ 5,00, carro - R$ 10,00 e ônibus ou van R$ 15,00. Nas redes sociais muitas são as críticas ao órgão, pois o preço está sendo considerado fora da realidade.

Uma dos locais aonde será colocada Zona Azul Solidária é na Rua Vidal de Negreiros, Centro de Patos, onde já tem uma placa afixada.

Os motoristas também questionam o fato da Zona Azul na cidade está desativada e que assim, não se sentem obrigados a pagarem pelo local. O serviço foi desativado desde janeiro de 2017, início da Gestão Dinaldo e até hoje continua assim.

O presidente da Associação dos Agentes de Trânsito do Brasil (AGT/Brasil), Antônio Coelho, disse que a recusa do pagamento da Zona Azul Solidária e estacionamento solidário não se tipifica como infração de trânsito, portanto, não se pode colocar que o veículo está sujeito a reboque como está na placa.

Cassius Cley Bezerra, superintendente da Sttrans, informou que a Zona Azul Solidária vai funcionar como todos os anos e que haverá um decreto ainda para quais ruas devem ser exploradas.

No entanto, os preços praticados quando ela foi implementada na Gestão Maurício Alves eram menores: R$ 5 carro e moto.

« Voltar

FESTA GRANDE

Diocese de Patos lança oficialmente programação da Festa da Guia 2019

NO SERTÃO

MPF de Patos ajuíza ação de improbidade contra prefeito de Imaculada e mais oito pessoas

Veja também...

DECIDIDO

Vereador Ivanes Lacerda é eleito novo prefeito interino de Patos em eleição de presidente da Câmara

NO SERTÃO

MP abre investigação contra ex-prefeito de Patos acusado de tentar pagar propina para impedir denúncia de irregularidades

TRAGÉDIA

Polícia Civil investiga morte de criança que ingeriu ‘chumbinho’, em Patos