Compartilhe

Cristã com câncer e que respirava por aparelhos testemunha cura milagrosa

Por Gospel Prime    Sábado, 29 de Setembro de 2018


Uma das editoras participantes da 14ª edição da Expo Cristã, AD Santos, lançou pelo menos 18 livros. Entre eles “Milagres Acontecem” de Ane Blos (46). Entrevistada pelo Gospel Prime, ela deu detalhes sobre como enfrentou um câncer metastático e sobreviveu para contar sua história.

“Eu já respirava por aparelhos, usava fralda e tinha no máximo 48 horas de vida”, iniciou. Ane travou uma grande luta contra um melanoma. Segundo a medicina, a taxa de sobrevida para esse tipo de doença é de 5 a 10 anos, sendo responsável por cerca de 90% das mortes relacionadas ao câncer de pele.

Segundo a autora, a situação de morte era tão certa que a família já havia encomendado caixão e serviços fúnebres. “Eu tinha 34 anos e estava ciente que ali eu encerraria minha vida. Eu tinha saído de um mestrado, ia começar um doutorado”, lembra.

A professora de língua portuguesa e metodologia científica conta que já se sentia sufocada, mesmo respirando por aparelhos. “Eu cheguei a pedir aos médicos para tirar todos aqueles aparelhos de mim, mas eles disseram que tinham que seguir os protocolos da medicina”, relatou.

Última chance

Ane conta que os médicos ainda tentaram uma última cirurgia. “Eu cheguei a me despedir dos meus filhos de 15 e 17 anos, dos meus pais e do meu atual marido Marcelo”, lembra.

Naquele momento de despedida, ela se lembrou da história do rei Ezequias. “Eu não entendia nada da Bíblia, mas o Marcelo tinha me contado essa história. Eu não sabia orar. Mas eu falei com Deus”, disse.

“Eu comecei a chorar e a passar mal. Os médicos então me sedaram. Depois disso, eu me vi andando por um túnel, vi uma luz muito branca e um jardim de flores coloridas. Algo me puxou e eu voltei flutuando, mas eu não queria voltar”, relata.

De volta à vida

Ane acordou depois de cinco dias de coma. “Ainda na UTI eu vi um ser horrível que dizia que ia me levar com ele. Eu conseguir soltar um grito. O Marcelo fez uma oração e aquilo me acalmou”, disse.

Depois de passar por várias sessões de quimioterapia e mais de cem pequenas cirurgias, os médicos disseram que o último recurso era a sedação para uma morte mais tranquila. “Vários órgãos eu não tenho mais, ou parte deles”, disse.

Depois de pedir para “morrer em casa”, Ane se lembrou de uma mulher que participava de um pequeno grupo e que orava por ela.

“Eu tinha tanto preconceito contra essas pessoas e fiquei sabendo que elas oravam por mim. E ainda me carregaram para essa célula. Eu era pele e osso, careca e vomitava o tempo inteiro”, testemunha.

Caminho de restauração

“O pastor perguntou: o que você tem? E eu respondi: eu tenho câncer. Então ele disse que se a medicina não podia fazer mais nada por mim, Jesus me curaria e eu contaria isso para todos”, lembra.

Ane ouviu do pastor a história do rei Ezequias. “Aquilo me chamou a atenção. Era a mesma história que o Marcelo havia me contado. Meu coração então começou a mudar”, disse.

Ela lembrou que tinha o coração triste, depois de ter passado por um casamento de muitas traições. “Durante 8 anos de separação, nada dava certo para mim, porque eu não me amava e não conseguia amar ninguém. E Deus foi me tratando”, conta.

“Primeiro Deus curou as feridas do meu coração e depois as feridas do meu corpo. Foi tudo muito devagar. Eu entreguei então minha vida pra Jesus e me batizei. Depois comecei a ‘devorar’ a Bíblia. O Marcelo me pediu em casamento”, revela.

Milagres acontecem

Ane aceitou o pedido de casamento. Apesar de ter sido muito apoiada pelo atual marido, Ane conta que ele estava “afastado dos caminhos do Senhor” e que era uma pessoa difícil.

“Até hoje eu não sei se a minha maior luta foi contra o câncer ou ter que conviver com um marido desviado. Eu tinha sede de aprender e ele não queria nada disso. Eu busquei na oração a restauração do meu casamento. Depois disso, descobri que estava grávida”, conta.

Os médicos aconselharam um aborto e ela recusou. “Eu sou o único caso que os médicos conhecem que mãe e filho sobreviveram e vivem bem. Davi nasceu perfeito. Jesus nos deu esse filho de presente”, revela.

Ministério

Atualmente, Ane e seu marido Marcelo fazem parte de um ministério para casais na Igreja Batista do Bacacheri, Curitiba (PR). “A nossa história começou a abençoar outras pessoas. Temos muitos pequenos grupos e líderes que cuidamos”, conta.

« Voltar

Papa manda mensagem ao Brasil por dia de Nossa Senhora

VERGONHA

MP pede condenação da igreja por abusos sexuais cometidos por padre na Arquidiocese da Paraíba

Veja também...

NOVIDADES

Facebook lança funcionalidade de fotos 3D; veja a novidade

TRAGÉDIA

Motociclista morre após ser esmagado por caminhão no Sertão do Estado

ELEIÇÕES 2018

Prefeitos Umberto Jefferson, Segundo e Toninho mostraram força política em seus municípios do Vale