Compartilhe

Bonifácio e Dinaldo terão dez dias para apresentarem defesa na Câmara de Vereadores de Patos

Por Redação 40 Graus    Terça-Feira, 4 de Dezembro de 2018


O procurador da Câmara de Vereadores de Patos, José Lacerda Brasileiro, informou que após aceitação pela Casa Juvenal Lúcio de Sousa da denúncia contra o prefeito afastado Dinaldo Filho e seu vice Bonifácio Rocha, a comissão processante deverá notificar os acusados para que num prazo de 10 dias apresentem defesa das acusações que lhe foram impostas.

Depois disso, a comissão irá avaliar as defesas e, se achar necessário, dará continuidade ao próximo passo que será a investigação.

Se não existir prova documental, abre-se vista para o denunciante e denunciados, onde as testemunhas serão ouvidas. “Os casos podem ser ou arquivados na Comissão Processante”, completou José Lacerda.

Lacerda esclareceu que não compete a Câmara analisar crimes na esfera civil ou penal, mas na esfera apenas político-administrativo. “Caso algum ilícito seja encontrado com relação à primeira hipótese, cabe aos vereadores remeterem ao Ministério público para análise. Este julgamento na Câmara é apenas com relação às partes política e administrativa”, disse ele.

Caso a Comissão decida pelo prosseguimento da denúncia, o caso vai a plenário que terá um prazo de 180 dias para finalizar todo este processo.

Na sessão de análise, primeiro será votado o afastamento dos dois por um prazo de 180 dias. Caso seja aprovado, na sessão final de julgamento, o processo é todo lido, e tanto os vereadores como as defesas terão direito a falarem.

Serão necessários 2/3 dos vereadores(12 votos) para cassarem os mandatos de um ou de outro.

Já na análise de afastamento, há vereador defendendo que o Decreto fala em maioria absoluta(9 votos), mas há outra interpretação que diz que seria também o afastamento apenas por 2/3 da Casa.

As denúncias

A Câmara foi provocada por denúncia formulada pelo advogado e ex-procurador do Município de Patos, Claudinor Lúcio. Segundo ele, o prefeito afastado e o interino cometeram crimes de improbidade administrativa, crime de responsabilidade e crime político-administrativo.

A denúncia se baseia na ação do Ministério Público da Paraíba (MPPB) que desencadeou a Operação Cidade Luz, a qual gerou o afastamento do prefeito Dinaldinho Wanderley. A utilização do carro locado pela prefeitura pela primeira-dama também entrou na fundamentação.

« Voltar

POLÊMICA

Vereador Capitão Hugo diz que está sendo perseguido após apresentação de projeto

NO SERTÃO

Advogado confirma que Dinaldo Filho não assinou notificação da Câmara de Vereadores de Patos

Veja também...

NO SERTÃO

Complexo Hospitalar de Patos realiza classificação de risco dos pacientes

NO SERTÃO

Hospital do Bem de Patos realiza 428 atendimentos nos três primeiros meses de funcionamento

NO SERTÃO

Mais 3 pessoas são presas na Operação Recidiva em Patos; veja os nomes