Compartilhe

Secretaria de Segurança adquire novo helicóptero para a Paraíba

Por G1 Paraíba    Quinta-Feira, 13 de Setembro de 2018


Um novo helicóptero foi adquirido pela Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social para atuar no estado. O Acauã 2 já está em solo paraibano e será entregue oficialmente na próxima semana. A aeronave vai reforçar o trabalho de combate à criminalidade e, a exemplo do primeiro, será utilizado em ocorrências de grande porte, que envolvam policiamento aéreo, salvamento aquático, resgate de vítimas e combate a incêndios.

Com a chegada do Acauã 2, que será integrada ao Grupamento Tático Aéreo (GTA), não haverá interrupção do serviço operacional no atendimento das ocorrências demandadas pelo Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop) e pelos órgãos operativos das Forças de Segurança da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social, segundo garantiu a Segurança, uma vez que um plano de manutenção de cada aeronave garantirá que tenha sempre outro helicóptero disponível, mesmo com a cobertura entre dois territórios. A nova aeronave possui prefixo PP–CPB pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

A equipe intitulada Grupamento Tático Aéreo (GTA), criado pela Medida Provisória 221/2014, é formada por comandante, subcomandante, seção de operação, segurança operacional, instrutor de treinamento, supervisor de manutenção, gestor administrativo e apoio administrativo, e vai operar o helicóptero em regime de escala, diariamente. No GTA todos os oito responsáveis pelo trabalho com as aeronaves são policiais militares, civis e bombeiros militares.

« Voltar

NA PARAÍBA

Esposa acusada de mandar matar o patoense 'Rei do Lixo' é condenada a 20 anos de prisão

EM FLAGRANTE

Polícia Ambiental resgata aves silvestres mantidas em cativeiro, em Coremas

Veja também...

NA PARAÍBA

Homem acusado de estuprar crianças em escola particular do Recife é preso em Pombal

NA PARAÍBA

Esposa acusada de mandar matar o patoense 'Rei do Lixo' é condenada a 20 anos de prisão

PREOCUPAÇÃO

Flamengo vive mesmo cenário de 2017 e tenta evitar filme repetido na Libertadores