Compartilhe

Flamengo divulga prejuízo de R$ 26 milhões no primeiro semestre de 2020

Por Globo.com    Sábado, 1 de Agosto de 2020


O impacto da pandemia de coronavírus nas finanças do Flamengo tem número: R$ 26 milhões. Este foi o prejuízo divulgado pelo clube em seu balanço do primeiro semestre de 2020. Como comparação, houve superávit de R$ 38 milhões no mesmo período em 2019.

 

Arquibancada Gávea Flamengo ginásio Togo Renan Soares — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Arquibancada Gávea Flamengo ginásio Togo Renan Soares — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

O prejuízo era esperado, principalmente devido à queda nas receitas do clube. Fontes importantes, como bilheteria e direitos de transmissão, caíram - no caso dos direitos, houve uma postergação do pagamento. Por outro lado, o sócio-torcedor registrou aumento em relação a 2019.

- Neste ano de 2020 o calendário das competições foi significativamente alterado com suspensão a das competições e proibição de público nos estádios, a partir de março. Diante disso, parte das receitas com direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, da Copa Libertadores da América e da Copa do Brasil deixaram de ser reconhecidas no período, estando as parcelas recebidas registradas como Adiantamento no Balanço Patrimonial - diz um trecho do balanço.

A receita operacional líquida do Flamengo no primeiro semestre de 2020 foi de R$ 320 milhões, contra R$ 397 milhões em 2019. Por outro lado, as despesas também diminuíram: R$ 286 milhões, contra R$ 293 milhões em 2019.

Para se ter uma ideia melhor do impacto da pandemia, o clube havia tido receita de R$ 256 milhões nos primeiros três meses de 2020 - ou seja, nos outros três meses, quando houve a paralisação do futebol, a receita foi de R$ 64 milhões, menos da metade da diferença em 2019, que foi de R$ 158 milhões.

No balanço, assinado pelo presidente Rodolfo Landim e pelo vice-presidente de finanças, Rodrigo Tostes, o Flamengo afirmou que "ainda não é possível indicar com precisão o fim da crise" causada pela pandemia.

- Desde o primeiro momento o Clube tomou medidas emergenciais para o desenvolvimento e aplicação de protocolos visando com prioridade total na preservação da saúde dos atletas e funcionários do Clube e medidas de preservação das condições econômico financeiras para manter as obrigações sem default. Atualmente, o clube já opera a maioria de suas atividades sociais e recreativas de acordo com os protocolos estabelecidos e aprovações das autoridades competentes.

 

Veja os principais números:

 

Receita:

 

  • Direitos de transmissão fixos: R$ 10,6 milhões
  • Patrocínio e publicidade: R$ 46,2 milhões
  • Bilheteria: R$ 21,8 milhões
  • Estádio: R$ 5,1 milhões
  • Sócio-Torcedor: R$ 38,6 milhões
  • Venda de direitos econômicos: R$ 144,2 milhões
  • Empréstimos e mecanismo de solidariedade: R$ 20 milhões

 

Despesas:

 

  • Salários, encargos e benefícios: R$ 103,2 milhões
  • Direito de imagem: R$ 38,5 milhões
  • Gastos com negociações e baixas de atletas: R$ 23,6 milhões
  • Gastos com jogos e competições: R$ 20,8 milhões
  • Empréstimos de atletas: R$ 9,1 milhões
  • Amortizações de direitos de jogadores: R$ 65,2 milhões
« Voltar

FORA DA TELA

Rede Globo rescinde contrato da Libertadores; veja os motivos

AMARGO

Domènec vê Flamengo com espaço para se aperfeiçoar: 'Temos tempo de jogar muito melhor'

Veja também...

NO SERTÃO

Município de São Mamede deu início ao Projeto de Instalação de Lâmpadas de LED

NO SERTÃO

Vereadora reivindica do Dep. Hugo Motta recursos para recapear Alça Sudeste, em Patos

NA PARAÍBA

Ex-conselheiro do TCE-PB é condenado por chamar síndica de 'esqueleto ambulante'