Compartilhe

Acabou o amor: o ato final nada dramático de um Guerrero rubro-negro

Por Globo.com    Sexta-Feira, 10 de Agosto de 2018


Chuteiras na sacola, armário vazio e vida que segue. Paolo Guerrero tem nesta sexta-feira seu último dia como funcionário do Flamengo.

As idas mais recentes ao Ninho do Urubu não tiveram a companhia dos flashes e holofotes que marcaram sua passagem de três anos pelo clube. Dores causadas por um edema na coxa fecharam as cortinas vermelha e preta para o peruano antes do previsto.

Após reunião, Inter fecha contratação de Guerrero por três temporadas

Há 12 dias, idas ao departamento médico em período integral representaram o ato final de uma relação tão intensa quanto desgastada. Se fossem um casal, poderíamos dizer que Flamengo e Paolo se gostam, mas não se amam mais. Nenhum dos lados cedeu na negociação durante um ano conturbado e o divórcio é praticamente consensual.

Aos rubro-negros, restam Uribe, Lincoln e Henrique Dourado. Ao peruano, um futuro colorado em Porto Alegre. Três anos, no entanto, é muito tempo. E Guerrero, à sua maneira, marcou sua passagem pelo Flamengo. Relembre:

A última impressão...

Se não chegou ser ídolo pelos resultados ou performance em campo, Guerrero deixou sua marca no Flamengo pelo que representou para gestão Bandeira de Mello e por seu prestígio internacional.

Primeira contratação de impacto de um clube com novas diretrizes, ganhou de imediato o apoio praticamente irrestrito do torcedor, que durou até sua aparição final, há 12 dias, diante do Sport. A última página desta história, entretanto, ficou marcada por baixo rendimento, mistério e "sumiço".

 

Guerrero entrou no segundo tempo contra o Sport: a última aparição (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Guerrero entrou no segundo tempo contra o Sport: a última aparição (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Entre o cumprimento dos primeiros seis meses de punição impostos pela Fifa, nova suspensão e liberação pelo Tribunal Suíço, foram sete partidas em 2018, 387 minutos em campo e apenas um gol.

Apesar do frisson que continuou causando nos torcedores, Guerrero apresentou falta de ritmo natural nos três jogos antes da Copa do Mundo e baixo rendimento técnico na volta da Rússia. Titular contra São Paulo, Botafogo e Santos, foi peça nula até perder lugar para Uribe no 4 a 1 sobre o Sport. Em campo nos 16 minutos finais, nada fez e chegou ao sexto jogo pelo Brasileirão, limite para que pudesse se transferir para outro clube.

Desde a saída do gramado do Maracanã naquele 29 de julho, não foi mais visto publicamente com a camisa do clube. Queixou-se de dores na coxa direita, desfalcou a equipe nos três jogos seguintes e se despede nesta sexta-feira.

 

 

« Voltar

MAIS UM

Nacional de Patos anuncia a contratação de atacante ex-Sousa

VEJA OPÇÕES

Time Carille: comissão técnica do Corinthians cresce com retorno do treinador

Veja também...

NA PARAÍBA

Perícia do IML indica que houve execução dos trabalhadores Sem Terra

NO SERTÃO

PM descobre presos escavando buraco em cela e impede fuga em Piancó

POLÊMICA

MPE investiga nova triagem feita com pacientes do SAMU no Complexo Hospitalar Regional de Patos