Compartilhe

Justiça do Trabalho anula multa aplicada à Igreja Católica da Paraíba por exploração sexual

Por G1 Paraíba    Sexta-Feira, 8 de Novembro de 2019


A Justiça do Trabalho anulou, nesta quinta-feira (7), a multa de R$ 12 milhões aplicada contra a Arquidiocese da Paraíba através de uma ação civil pública, que acusa a instituição religiosa de exploração sexual. De acordo com a decisão, não há provas suficientes no processo. O julgamento do recurso aconteceu no Tribunal Regional do Trabalho, em João Pessoa. A procuradoria afirmou que vai recorrer da decisão.

A multa foi aplicada em janeiro de 2019, mas o caso vem sendo investigado desde 2014. Conforme a acusação, um grupo de sacerdotes pagava por sexo a flanelinhas, coroinhas e seminaristas.

A denúncia feita pelo procurador do Ministério Público do Trabalho, Eduardo Varandas, também afirma que o pagamento aos jovens explorados era feito com dinheiro e até mesmo com comida. Os padres envolvidos negam a acusação. Eles foram afastados da função.

Conforme explicou Varandas no mês de janeiro, a indenização de R$ 12 milhões - R$ 1 milhão para cada ano de dom Aldo Pagotto à frente da Arquidiocese - seria revertida "para o fundo da infância, da adolescência e instituições congêneres que trabalham com crianças sexualmente exploradas e atuam na recuperação psicóloga e na reinserção social”.

O julgamento começou à tarde e terminou pouco antes das 20h. Mais informações sobre o processo não foi divulgado, pois o caso corre em segredo de justiça.

« Voltar

NO SERTÃO

Chove em vários municípios do Vale do Piancó. Veja os índices oficiais

NO SERTÃO

Homem é encontrado morto dentro de açude após ingerir bebida alcoólica

Veja também...

SUCESSO

Jovem de São José do Egito-PE compõe elenco da nova Malhação da TV Globo

NO SERTÃO

Comerciária tem moto furtada no Centro de Patos

DE PARTIDA

Secretário de Saúde entrega cargo ao prefeito de Patos