Compartilhe

Vereadores protocolam nesta quinta pedido de cassação de Dinaldo Filho; votação só após 15 de julho

Por Vicente Conserva - Portal 40 Graus    Quinta-Feira, 14 de Junho de 2018


Os vereadores da oposição, Ivanes Lacerda, Fátima Bocão, Lucinha Peixoto e Nadir Rodrigues, devem protocolar hoje à tarde o pedido de abertura de processo de afastamento(cassação) do prefeito de Patos, Dinaldo Filho. Os parlamentares alegam que há motivo suficiente para Câmara afastar e depois cassar o mandato do prefeito por ter gasto recursos públicos dos cofres municipais sem autorização do Legislativo.

Três denúncias fundamentam pedido de impeachment de Dinaldo Medeiros Wanderley Filho (PSDB): 1 – Gastos com o São João 2017 sem autorização do legislativo. 2 – Omissão na prestação de contas dos serviços de publicidade, e. 3 – Utilização de bens públicos para fins particulares.

Para aceitar a abertura de processo contra o prefeito, o plenário precisa por maioria de votos, aceitar a denúncia. Caso esta seja aceita, o prefeito será afastado do cargo por 90 dias para que se inicie as investigações. A Câmara tem um prazo de 180 dias para julgar o prefeito.

Pelo rito, o presidente faz a leitura da denúncia em sessão ordinária e dentro dos prazos regimentais coloca em votação. Nesta quinta, não haverá ainda votação, só devendo ocorrer após o recesso parlamentar de meio de ano no dia 15 de julho.

No pedido, a parlamentar autora da denúncia, vereadora Nadir Rodrigues, alega que houve o descumprimento do orçamento aprovado para o exercício financeiro de 2017, com gastos acima do permito por Lei Municipal 4.228/2013 que prevê que o município só poderá gastar até R$ 200 mil com festejos juninos.

Na prestação de contas do São João 2017, enviada ao Tribunal de Contas da Paraíba, o Município admite ter gasto recursos do Imposto de Renda, FPM, ISS e outros na realização do evento, perfazendo R$ 1.814.949,58.

A denúncia diz ainda que assim, o prefeito descumpriu uma Lei municipal cuja punição é passível de cassação de mandato como prevê a Lei Orgânica do Município( art. 82 e 83), bem como a Constituição Federal no seu artigo 37, além do Decreto Lei 201/67.

A vereadora Nadir afirmou que não tem dúvidas que a Lei foi desrespeitada e que recursos públicos municipais foram usados sem autorização da Câmara.

A vereadora da base, Edjane Araújo (PRTB), saiu em defesa de Dinaldo Filho afirmando que a Lei de Responsabilidade Fiscal 101/2000, foi criada para regulamentar alguns artigos da Constituição Federal. A parlamentar abriu um parêntese para comentar que citou a lei para fazer uma ponte com o decreto 16/2017 do prefeito Dinaldo Filho (PSDB), que dispõe sobre a abertura de crédito adicional/especial, além de dar outras providências.

No artigo I, Edjane lembrou que versa sobre a autorização de crédito adicional/especial na quantia 400 mil reais, destinado a custear o São João de Patos, através de recurso federal.

Para justificar tal decreto, a vereadora lembrou que ano passado Pedro Cunha Lima (PSDB) garantiu que destinaria o recurso de 400 mil reais para ser investido no São João da cidade de Patos. Assim sendo, ela prosseguiu afirmando que a única maneira dessa verba entrar legalmente nos cofres públicos de Patos seria através do referido decreto, que prevê o recebimento da mesma.

Já a vereadora Lucinha Peixoto apelou para o bom senso de todos e disse que é obrigação da Câmara aceitar o pedido. “Quem não deve, não teme. Se o prefeito acha que não cometeu nenhum erro, então deixe o parlamento investigar seus atos. Sem interferências ou subterfúgios”, disse ela.

O vereador Ivanes Lacerda disse que está claro que a população quer não só a investigação, mas também a cassação do prefeito pelos desmandos já praticados em apenas um ano e meio.

« Voltar

ATÉ AGOSTO

Prazo para atualização do Cadastro Único é prorrogado até 17 de agosto

DESCASO TOTAL

Obras inacabadas do São Francisco desperdiçam dinheiro público, diz CNI

Veja também...

NA PARAÍBA

'Jesus Cristo me pediu para cancelar a Micarandi', diz empresário responsável pelo evento

TRAGÉDIA NA ESTRADA

Gerente da Caixa de Patos e mais três pessoas morrem em acidente envolvendo ambulância e carro, na BR-361

NA PARAÍBA

Três homens são assassinados dentro de uma casa na cidade de Nova Floresta