Compartilhe

Ex-prefeito de São Bentinho é condenado e tem direitos políticos suspensos por cinco anos

Por Assessoria TJPB    Quarta-Feira, 9 de Outubro de 2019


O juiz Rúsio Lima Melo julgou procedente em parte o pedido do Ministério Público estadual na ação para condenar o ex-prefeito do município de São Bentinho, Francisco Andrade Carneiro, por ato de improbidade administrativa. Ele foi acusado de cometer irregularidades no exercício de 2007, em despesas não licitadas, contratação irregular de diaristas para Secretaria de Obras, despesa realizada com empresas fantasmas e não aplicação do mínimo legal para a remuneração e valorização do magistério. Cabe recurso da decisão.

O ex-prefeito terá que fazer pagamento no valor de R$ 6.540, acrescidos de correção monetária e juros de mora a contar da data do evento danoso, para reparar o dano em decorrência do pagamento irregular a empresas fantasmas, além de perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos pelo prazo de cinco anos.

Francisco Carneiro foi penalizado, ainda, ao pagamento de multa no valor de R$ 6.500 a ser revertida em favor da municipalidade e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica a qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos.

Não apresentou defesa

O ex-agente público foi notificado, mas não apresentou defesa preliminar e, quando citado, deixou decorrer o prazo para apresentar contestação.

Na sentença, o juiz Rúsio Melo ressaltou que a conduta do ex-prefeito deve ser pautada nos princípios da legalidade e da moralidade como vetores básicos da probidade administrativa, sob os quais estão aglutinados todos os princípios regentes de atividade estatal, que é desenvolvida pelo princípio da juridicidade.

“Ao exercer a função pública, no caso dos autos, no cargo de prefeito do São Bentinho, o promovido assumiu o dever de agir com prudência em todos os seus atos administrativos, devendo observar fielmente o artigo 37 da Constituição Federal e não se descuidar dos princípios administrativos da legalidade, da impessoalidade, da publicidade, da moralidade da eficiência”, enfatizou o magistrado.

« Voltar

ALERTA GERAL

Gastos com diárias acima do limite em prefeituras da região de Patos chamam atenção do Tribunal de Contas

NO SERTÃO

População de São Mamede dispõe de aplicativo para interagir com administração municipal

Veja também...

INSTAGRAM

Famosos pedem apoio ao Nordeste após manchas de óleo atingirem praias

REDES SOCIAIS

Internautas detonam participação de Maisa no Mais Você: ''Só isso?!''

MUDANÇA

Mariana Ferrão conta o verdadeiro motivo de ter saído da Globo: ‘’Teve que acabar’’