Compartilhe

ORGASMO HIPNÓTICO: especialista em fetiche explica como usar o método

Por Adriany Santos    Sábado, 24 de Julho de 2021


Falar sobre sexo publicamente em pleno século XXI ainda tem sido um grande tabu. Algo que não deveria acontecer mais. Estamos acostumados a conversar com aquele amigo, que consideramos mais confiável, para tirar algumas dúvidas sobre desenvolvimento sexual ou até mesmo fazer comparações.

Mas, quando surge algum problema mais sério, como a dificuldade de “chegar lá”, conversar com algum amigo não é suficiente, e aí devemos sair em busca de um especialista. Seja um andrologista ou sexólogo, ambos irão investigar o que deve estar acontecendo e indicar tratamentos específicos para qualquer que seja o problema . Mas, um especialista que ainda é pouco conhecido por muitos, é o especialista em fetiches, e que pode resolver muitos problemas de saúde sexual dos casais.

Uma nova prática vem ganhando espaço na cena sexual: o ORGASMO HIPNÓTICO. E por isso, o Metrópoles  divulgou, recentemente, uma entrevista com a especialista em fetiches, Madame duBa, fetichista e dominadora da prática há mais de 20 anos, além de terapeuta holística.

Especialista em orgasmo hipnótico, foi ela quem abriu as portas desse universo para o site. “É preciso saber que a hipnose trabalha com foco e concentração. A pessoa tem que querer e estar disposto a seguir instruções”, inicia a expert.

E como saber que ele vai dar certo? Segundo Madame duBa, é preciso já ter experimentado um orgasmo alguma vez na vida. “A gente trabalha com a memória da pessoa. Caso ela nunca tenha experimentado o clímax, existem outras formas de chegar lá, mas aí é outra terapia”, explica.

Na hipnose, as sensações são potencializadas. “O mesmo acontece com uma memória de dor. Conseguimos fazer com que fique muito maior. Assim, também é possível permitir que as sensações de prazer seja mais intensas”, conta a dominadora. A especialista acrescenta que, em alguns casos, a pessoa pode chegar a desmaiar. Por isso, é fundamental procurar um profissional de confiança.

Na prática

Na definição de Madame duBa, “é instalado um gatilho e, então, por meio de palavras, você vai estimulando e trazendo sensações de prazer”.

A prática não tem contra-indicações, mas é importante lembrar que deve ser feita de maneira consensual. Além do mais, não pode ter havido ingestão de bebidas alcóolicas e nenhum tipo de droga pelos participantes.

A especialista também trabalha com cadeirantes. De acordo com ela, a alternativa ajuda pessoas que, por motivos físicos, não conseguem mais gozar com plenitude. “O orgasmo é mental, então, dá para trazê-lo à memória e fazer com que a pessoa sinta de novo”, esclarece.

A prática pode ser utilizada para fins fetichistas: “Por exemplo para fazer o pet play; para alterar personalidade e construir novos personagens; para utilizar no BDSM, como bondage, que é quando a pessoa não consegue se mexer”, detalha.

Para quem quer começar

Toda pessoa pode começar a praticar e pode, também, experimentar esse tipo de prazer. Para os interessados em aplicar a hipnose orgásmica, a terapeuta recomenda fazer cursos curtos e, se gostar, aprofundar na temática. Como tudo na vida, é preciso prática. Ela dá cursos de hipnose erótica para pessoas acima de 18 anos.

Sentindo na pele

Modelo oficial do site Suicide Girls, Liwarie tem 20 anos e é praticante de BDSM desde os 17 anos de idade. Ela detalha sua experiência com o orgasmo hipnótico:

“Eu tive uma sensação que nada nem ninguém nesse mundo poderiam fazer igual. Foi algo intenso e energético, minha mente criou meu próprio prazer sem eu ter sido tocada. Foi como descer uma escada no escuro. A cada degrau, a sensação ficava mais forte, até chegar ao orgasmo”, relata.

A criadora de conteúdo sensual no OnlyFans recomenda a prática. “É uma sensação única, todo mundo deveria experimentar pelo menos uma vez na vida. Você é envolto de energias sexuais fortes, tem gente que apaga tendo orgasmo e diz que é surreal de maravilhoso”, finaliza.

« Voltar

Instagram

Facebook

Publicidade

about-img