Compartilhe

Jovem sofre amputação de parte de polegar por causa do vício de roer unhas

Por Extra    Sexta-Feira, 7 de Setembro de 2018


Courtney Whithorn começou a roer unhas quando estava no ensino médio e sofria bullying. O mecanismo de defesa acabou virando um hábito. Depois, um vício. Em 2014, a inglesa que mora em Gold Coast (Austrália) chegou a arrancar toda a unha de um dos polegares.

Logo depois disso, ela notou que o dedo começou a escurecer. Mas Courtney conseguiu esconder o problema de parentes e amigos.

Até que em julho deste ano, a inglesa, de 20 anos, foi diagnosticada com um tipo de câncer no polegar que tem ligação ao vício de roer unhas e aos traumas por ele provocados.

A estudante universitária foi submetida a quatro cirurgias, contou reportagem do “Sun”. Mas elas não deram certo. Foi após uma delas, com cirurgião plástico em Sydney (Austrállia), que parte do tecido retirado foi enviado para biópsia. O resultado apresentou a presença de melanoma.

Recentemente, Courtney teve que amputar parte do polegar direito para deter o avanço do câncer.

Courtney antes da amputação
Courtney antes da amputação Foto: Reprodução/Facebook(Courtney Belle Whithorn)

“Quando descobri que roer unhas era a causa do meu câncer, eu fiquei despedaçada”, contou a jovem. “Eu mantinha o polegar escondido com o punho fechado, pois não queria que ninguém visse, mesmo os meus pais. Até que resolvi mostrar neste ano”, acrescentou ela.

Courtney teve que trancar matrícula na Griffiths University para tratar a doença. Ela também terá que reaprender a escrever, uma de suas paixões.

O vício de roer unhas – associado a quadros de ansiedade, estresse e nervosismo – tem nome técnico: onicofagia.

Extra

« Voltar

GRANDE ACHADO

A escavação para obra de saneamento que revelou esqueletos de 3 mil anos no Reino Unido

FANTÁSTICO

Primeira imagem real de um buraco negro é revelada; amplie

Veja também...

NA PARAÍBA

Homem acusado de estuprar crianças em escola particular do Recife é preso em Pombal

NA PARAÍBA

Esposa acusada de mandar matar o patoense 'Rei do Lixo' é condenada a 20 anos de prisão

PREOCUPAÇÃO

Flamengo vive mesmo cenário de 2017 e tenta evitar filme repetido na Libertadores